Autoconexão - Meditação, Yoga e Autoconhecimento

Autoconexão - Meditação, Yoga e Autoconhecimento

O Autoconexão é um espaço para você vivenciar o seu melhor. Meditação, Yoga, Cursos, Voluntariado, Livros e Palestras. O caminho para se autoconhecer, online ou presencial! contato@autoconexao.org.br 19 3307-7735 - 19 3307-7736 R. Nuno Álvares Pereira, 72, Vila Nogueira, Campinas-SP, Brasil, CEP: 13088020
Autoconexão

Autoconhecimento

Acesse os Cursos

Acesse os Cursos

Parafraseando a famosa frase de René Descartes, um grande filósofo e matemático do século XVI, “Penso, logo existo”; ousamos dizer que nos dias de hoje: Penso, logo desisto!

O que está acontecendo conosco? Quem ainda não se viu com os seus pensamentos comportando-se como crianças birrentas e escandalosas em pleno shopping num sábado a tarde? Descontrolados, inoportunos, desassossegados, irritados, confusos, esquecidos e..., a lista não para.

Afinal, o que são os pensamentos, porque é tão difícil controlá-los, como sair dessa confusão? Como não desistir?

O pensamento é “energia viva e dinâmica, ele é a nossa primeira unidade produtiva”1.

Eles são as ferramentas que usamos para interagir com o mundo e compreendê-lo. Ele é inerente a nossa realidade mental, não é uma opção, portanto, temos uma necessidade de sobrevivência de cuidar do nosso pensar e por consequência da nossa mente.

Árvore

A mente é o armazém dos pensamentos. Assim como, a árvore frondosa que fornece uma sombra enorme em uma tarde de verão é formada por pequeninas folhas, a nossa mente é formada por “infinitas” unidades de pensamentos.

O problema central dos nossos pensamentos está em dois fatores: quantidade e qualidade.

Pensamentos

Por falta de conhecimento nessa área, não temos a ciência de que nos compete educar, sanear e administrar nossos pensamentos e manter nossa mente organizada. Todos os nossos excessos emocionais e comportamentais começam da perda do comando dos nossos pensamentos.

Quanto mais estímulos externos, mais pensamentos criamos. Quanto maior a pressão e exigência da vida, mais agitados eles se tornam. Quanto mais improdutividade, preguiça, frustrações, inseguranças, ansiedades, mais eles se densificam e aglutinam. Bem-vindo ao descontrole!

E como sair de tudo isso?

Tudo é construído, e da mesma forma que construímos a bagunça durante muito tempo, agora vamos usar da ferramenta chamada 5 Regras para Vencer nossos Limites para educar ou reeducar a nossa mente. Nesse artigo vamos falar apenas da primeira regra para iniciar esse trabalho. Nos próximos traremos as outras regras.

A primeira ferramenta, o Observar é “ter a visão do que está por trás de todas as coisas; aquilo que meus olhos não podem ver, mas está lá”2.

Isto é, ampliar os nossos sentidos e ao mesmo tempo trazer foco e direcionamento para eles. Essa ferramenta é para ser utilizada em todos os momentos de nossa vida, mas vamos começar nosso treinamento aplicando-a em nossa mente e pensamentos.

Lembra-se da criança birrenta?

Criança Chorando

A melhor forma dela parar de gritar e chorar, é a mãe ou pai, observá-la sem se envolver e deixar que ela pare sozinha e se recomponha. A nossa mente e pensamentos não são diferentes. Conseguir observar nossos impulsos e omissões e não agir regidos por eles, é nosso primeiro desafio. No exercício de nos observar, vamos tomando ciência do tamanho da bagunça: de pensamentos soltos, repetitivos, desconexos, descontrolados, e ainda, aqueles que não nos pertencem.

Através da observação, começamos a colocar cada coisa no seu lugar, jogar fora pensamentos inúteis e ou transformá-los .

Não tenha pressa, se entendermos que os nossos pensamentos e aglutinações mentais são nossos verdadeiros filhos... saberemos que cabe a nós, apenas a nós mesmos educá-los.

A experiência de educar nossos próprios pensamentos tornar-nos-á pessoas mais saudáveis, produtivas e autoconectadas!

 

 

---
Foto do Árvore [Kai Lehmann]

Foto do Criança [David D]

Foto do Núvens [Daniel Fucs]


1- Paulo Zabeu, Faça você mesmo os seu destino, IEditora, 2004, pag. 32.
2- Paulo Zabeu, 5 Regras para vencer seus limites, IEditora, 2003, 2ª edição, pag. 19.

Postado por Paula Andréa

Psicóloga, Gestora da Heulosofia e responsável pela compilação da Psicologia Heulosófica no Instituto Oikon, Facilitadora dos cursos on-line da Plataforma Autoconexão e Colunista no Blog do Autoconexão: - Construindo o Autoconhecimento - conteúdo essenciais. Praticante de Meditação Conectiva e Yoga Heulosófico há 27 anos.

Voltar